Livros

Quiage

Publicado em Atualizado em

Flag-map of Angola
Flag-map of Angola (Photo credit: Wikipedia)

         Quiage  é uma comuna pertencente ao município de Bula-Atumba e, constitui uma das 32 comunas que constitui a Província do Bengo. Situado a nordeste do Bengo, a comuna do Quiage é constituida por 12 povoações: Buti- Fary, Bengui, Belengue, Camungua, Kipenene, kissekula, Kanhanga, Kiagi-Banza, Kiangala, Kalunga-kazucama, Monzo e Mulungo.

           Com uma área de aproximadamente 58 Km2, a comuna do Quiage possui uma população heterolinguísticamente Mahungo, Oriúnda do Uíge (Negage). Com tradições e costumes próprio, a populacão desta Comuna, é maioritáriamente camponesa onde se tem como culturas predominantes a mandioca, o milho, a batata-doce, a ginguba, o feijão, e outros produtos agrícola; a comuna do Quiage também é produtora de café. Durante a época colonial, a população desta Comuna foi governada pelo português Motas de Magalhães que durante longos anos chefiou a administração portugesa naquela região. Constroiu a sua morada no Musseque a um km do Bairro de Comungua.  Após a independência Colonial, com a expansão da administração angolana, o povo conheceu uma nova era da sua história, passando a ser governado pelos administradores Isidro Sambota, (comissário na altura) que foi o priméiro Administrador desta comuna. Depois seguiram-se   os Comissários Davide Panzo, o Armando Jaime, o Ernesto Capita Boma, já administradores e,  a  Senhora Odeth que é actualmente a administradora comunal do Quiage, em substituição ao Ernesto Capita Boma em 2010.

           Administrativamente a comuna do Quiage está subdividida em 3 sectores: A, B, e C. Cada comunidade tem  a denominação do seu Fundador e o seu significado. exempos: Camungua, fundador Macamungua significadio mamunguaolomba wa mona é kuvula, significado= (o sal de pedir nunca é suficiente), Kiangala, fundador ma kiangala, etc.  Durante o período pós independência, a população do Quiage tal como todo o país, viveu um período de turbulência vendo o seu desenvolvimento socio económico perturubado (ofuscado) pelos longos anos de guerre. Esta população viveu momentos tão difíceis que deixou-os quase destruídos. Hoje com a paz, vê-se nos olhos daquela população, um sentido de renovação e, tentam recontruir tudo que a guerra destruiu. Para este povo, a guerra faz parte do passado, embora que mesmo com a paz, pouco ou nada o governo Contruiu. A população caresse de tudo desde a Educação, a alimentação até a saúde, este povo ainda não foi beneficiado de nem uma acção do governo. As únicas estruturas existentes são resultado do colonialismo prtugês. Desde a independéncia, a única estrutura construída pelo actual Governo liderado pelo MPLA, é até então a Escola Primária construída em 2009.                                          

                                                              ±  Escola Primária do nº 244  (QUIAGE)  ±     

Após muitos anos finalmete a comuna do Quiage vai beneficiar-se do primeio Centro Médico  de raís isto desde a independência da república de Angola em 1975. A estrada também vem sofrendo algumas obras de rabilitação, seviço esse que não tem agradado grande parte da populaçao pela mediocredade das obras, pois trata-se apenas de nivelação da estrada e serviços de tapa-buracos. Na verdade o desenvolvimento do nosso país tem sido algo centralizado pois,   verifica-se o crescimento das grandes cidades e províncias como Luanda, Benguela, Huambo, Huíla (isto é na região centro e sula do país) enquanto que nas outras áres, principalmente na região Norte de Angola o desenvolvimento acontesse a passos. 

Até aqui, em algumas regiões como municípios, comunas e povoações das províncias do norte e sul, ainda verifim-se alunos a estuadem sobre  árvores, serviço de saúde em lugares impróprios, o saneamento não existe condimentos essenciais para o desenvolvimento económico-populacioanal de um país.  

                       

a  ≠Balgido (Tatacabalo)